Nós e os Cadernos

Nós e os Cadernos, Esposende

Nós e os Cadernos, Esposende

Há muito tempo que este evento ronda o meu pensamento. Como alguns de vocês sabem, há uns anos, fiz uma tese de mestrado relacionada com este universo dos diários gráficos. Essencialmente estava interessado (e continuo a estar) num conjunto de questões que envolvem este objecto. Entre elas, a forma como o caderno é usado pelos seus autores, de que forma a utilização do caderno contribui para uma determinada produção de sentido, como é que se dá a passagem entre a esfera privada e a esfera pública, e o seu valor documental (enquanto documento e forma de documentar). Desde então penso num evento onde possa reunir um conjunto de autores para debatermos estas questões. Não foi fácil escolher estes autores… a lista era longa e era necessário, de alguma forma, reduzir esta lista a 12 elementos.

Numa parceria com a Ana Torres e com a Câmara Municipal de Esposende, esse momento chegou e chama-se “Nós e os Cadernos”. 12 desenhadores — Eduardo Salavisa, Eduardo Côrte-Real, Alexandra Belo, Vitor Mingacho, Tiago Cruz, Pedro Cabral, Mário Linhares, Marco Costa, Manuel San Payo, Manuel João Ramos, Ketta Linhares e José Louro —, 2 mesas redondas e 3 locais para desenhar, a 22, 23 e 24 de Julho. O evento só faz sentido se for aberto a toda a comunidade. Assim sendo, estão todos convidados a comparecer nas mesas redondas e juntarem-se a estes autores para desenhar e conversarmos sobre esta coisa do desenho em diário gráfico. O “Nós e os Cadernos” é para falar sobre cadernos, sobre o desenho e o desenhar, sobre o documento e o documentar. Sobre um registo que, apesar de privado e íntimo, merece ser partilhado e, assim, passa a ser uma outra coisa. Tragam um caderno!

Até breve!

Nós e os Cadernos – Blog WordPress
Nós e os Cadernos – Página Facebook
Nós e os Cadernos – Evento Facebook

Seminário na Escola Artística Soares dos Reis

Ofir
Ofir, Portugal, 21.02.2016

Na Próxima quarta-feira, dia 2, às 12h00, estarei na Escola Artística Soares dos Reis, no Porto, para dar um seminário intitulado “O Desenho, o Diário Gráfico e a Viagem”. Falarei sobre o espaço que o desenho ocupa no meu quotidiano, onde surgiu, como se desenvolveu e como é gerido e mantido nos dias de hoje. Acompanhando este discurso, apresentarei um conjunto de diversos trabalhos, desenvolvidos em diário gráfico, complementando as ideias apresentadas ao longo da apresentação. No final, estarei disponível para esclarecimento de dúvidas e troca de ideias com todos os participantes. Apareçam!

Online Store

Decidi criar uma loja online com alguns dos meus trabalhos. De momento, entre eles, encontram-se dois diários gráficos originais. Esta coisa de vender diários gráficos é polémica… Mas eu penso, “porque não”? Numa espécie de exercício de desprendimento, aqui estão eles.

I decided to create an online store with some of my artworks. At this time, between them, you can find two original graphic diaries. It is a controversial topic… to sell graphic diaries. But I think “why not?” In a kind of un-attachment exercise, here they are.

Graphic Diary, 30.12.2014 – 06.03.2015 from Tiago Cruz on Vimeo.

Graphic Diary, 17.04.2014 – 01.06.2014 from Tiago Cruz on Vimeo.

Revista Time Out Porto

Revista Time Out Porto
Infelizmente vou coleccionando um conjunto de sujeitos e, ainda mais grave, entidades que usam as minhas imagens indevidamente. Desta vez foi a revista Time Out Porto. Fui contactado no sentido de disponibilizar desenhos do Porto. Assim o fiz. Por vezes cobro direitos autorais, especialmente se as imagens se relacionarem com a obtenção de lucros de alguma forma (como é o caso da Time Out). No entanto, visto que o caso também veio por intermédio de uma pessoa que me é próxima, não cobrei qualquer valor pelos direitos das imagens. Aliás, nem sequer toquei no assunto.

Aqui estão elas publicadas no número deste mês. Percebi que em lado nenhum surge o meu nome enquanto autor das imagens. Fiquei surpreendido pois acho que a atribuição dos créditos relativos às mesmas seria o mínimo que a revista deveria fazer. De facto, é uma obrigação e não uma questão de favor. Entrei em contacto com eles e pediram desculpa pelo sucedido justificando que pensavam que as imagens eram de diversos Urban Sketchers. Disseram ainda que iriam colocar uma nota no próximo número da revista expondo o lapso.

Claro que mesmo que fossem de diversos Urban Sketchers os direitos teriam que ser, ainda assim, atribuídos individualmente a cada um deles. Ainda respondi afirmando que seria simpático da parte deles, além da nota no próximo número, colocarem um post no Facebook de revista expondo o assunto e colocando links para os meus espaços na internet. Parece-me justo tendo em conta a falha e quando, ainda por cima, a revista é vendida. A resposta foi curta e simples:

“O Facebook da Time Out Porto não se destina a conteúdo editorial, mas apenas a fins de publicidade e marketing à marca.”

Entretanto pesquisei de forma um pouco mais profunda e parece que não fui a única vítima deste tipo de comportamento por parte da Time Out. Parece que lá para os lados de Lisboa a revista também faz destas coisas… colocar imagens e não atribuir os créditos aos autores.

Enfim… Lamentável. No próximo mês digo-vos se a tal nota chegou a sair ou não.

@edit
A TimeOut publicou uma “nota” atribuindo os créditos às imagens publicadas. Obrigado.
TimeOut Porto